Cólera
 
Descrição :

É uma diarréia severa, produzida por uma infecção não invasiva, causada pela bactéria Vibrio cholerae (vibrião colérico) no intestino delgado. As manifestações clínicas decorrem da produção de uma toxina entérica.
 
Causas :

O Vibrio cholerae é um bacilo gram-negativo portador de um flagelo (filamento), que lhe confere mobilidade, e é um dos organismos achados com maior freqüência nas superfícies aquosas do planeta. O contágio no ser humano ocorre por meio da água ou dos alimentos contaminados. Essa bactéria produz a toxina da cólera, cuja ação sobre a mucosa epitelial causa a diarréia característica da cólera. Se a bactéria conseguir sobreviver à acidez do estômago, será capaz de se adaptar a viver no intestino, pois resiste os sais biliares, pode penetrar nas camadas da mucosa e resistir aos movimentos peristálticos com a sua capacidade para nadar.
 
Sintomas :

Uma pessoa saudável pode apresentar uma deterioração muito grave, a ponto de, no momento do aparecimento dos sintomas, poder ser acometida de severa hipotensão. Geralmente, a doença progride, desde a primeira diarréia aquosa até o estado de choque, num prazo de quatro até 12 horas. O aparecimento da diarréia é repentino e em forma de surto: perde-se alto volume de líquido rico em eletrólitos, produzindo desidratação, e ocorre anurese (ausência de produção de urina), acidose e choque. A perda de potássio pode causar alterações cardíacas.
 
Diagnóstico :

Diante da suspeita de cólera, baseada na sintomatologia, a doença pode ser confirmada isolando a bactéria das fezes, multiplicando-a em meio de cultura especial, e identificando a cepa.
 
Tratamento :

Consiste na rápida reposição endovenosa dos líquidos e eletrólitos perdidos. Depois de alcançar o equilíbrio, deve-se prosseguir com a administração de solução isotônica (com a mesma concentração que o sangue) até o fim do surto diarréico. Os antibióticos e outros agentes quimioterápicos não possuem muita incidência no tratamento da cólera; entretanto, as tetraciclinas podem reduzir a duração e a intensidade dos sintomas.