Cobreiro ou Cobrelo
 
Descrição :

É uma infecção aguda e autolimitada, produzida pela ativação do vírus Herpes zoster, até esse momento latente, que ataca as raízes posteriores dos nervos espinhais (sensitivos) e sua área de inervação. O cobreiro produz dor nevrálgica ao longo desse nervo e uma erupção cutânea na região afetada.
 
Causas :

O cobreiro é causado pelo mesmo vírus da catapora. Depois de ocorrida a catapora, o vírus permanece em estado latente ou inativo, até o seu reaparecimento muitos anos depois. Não são conhecidos os motivos da reativação. Geralmente ocorre um surto só, sem recidivas.
 
Sintomas :

O vírus latente fica localizado em algum dos nervos que provém da medula. Quando ocorre a reativação, estende-se ao longo do nervo, produzindo dor e sensação de ardência. A erupção típica aparece dois ou três dias depois de o vírus chegar à pele. A erupção começa com manchas vermelhas com pequenas vesículas ou bolhas. Três ou cinco dias depois, as bolhas se rompem formando úlceras, que vão secar e formar crostas que escamam duas ou três semanas depois. Pode ocorrer inflamação dos gânglios linfáticos da região. As lesões somente aparecem na área inervada por um nervo espinhal e, por conseguinte, são unilaterais, afetando principalmente o tórax, o pescoço e a face e, mais raramente, a genitália e as coxas. Quando o vírus afeta o nervo trigêmeo, cujos ramos inervam a face, podem aparecer lesões na boca ou em um dos olhos. O acometimento do nervo facial pode ativar a síndrome de Ramsay Hunt, que abrange paralisia facial, perda da audição e do paladar. Em certos casos, a dor causada pelas lesões permanece depois da cura. Essa nevralgia pós-herpética pode ser severa e, inclusive, causar incapacidade em pessoas idosas.
 
Diagnóstico :

Depende da aparência da erupção e dos antecedentes de catapora. Geralmente não é necessário realizar exames laboratoriais, mas podem ser obtidas amostras das lesões para realizar uma cultura viral.
 
Tratamento :

O tratamento do cobreiro geralmente é sintomático: o seu objetivo é aliviar os sintomas durante o desenvolvimento do ciclo da doença. A prednisona pode ser utilizada para reduzir a inflamação, mas apresenta a desvantagem de interferir na resposta imune do organismo. Também é possível ministrar um antiviral, que pode diminuir a duração da infecção e reduzir os sintomas e complicações em pacientes idosos ou com imunossupressão. Os analgésicos e os anti-histamínico podem aliviar a dor e a coceira, respectivamente. As pessoas acometidas pelo cobreiro geralmente procuram remédios caseiros: panos molhados em água fria para reduzir a dor, banhos de aveia, de amido ou loção de calamina contra a ardência e a coceira. Durante o período de supuração das bolhas, devem ser adotadas precauções com os lençóis e outros objetos de uso pessoal: devem ser lavados com água fervendo para evitar o contágio.