Bócio
 
Descrição :

É um aumento do tamanho da glândula tireóide, que produz uma tumefação no pescoço que não corresponde a uma inflamação ou câncer.
 
Causas :

O bócio simples se apresenta quando a glândula tireóide não pode produzir quantidade suficiente de hormônios para atender as demandas metabólicas do organismo. A forma de compensar essa deficiência é aumentando o seu tamanho para poder sintetizar maior quantidade de hormônios. O bócio simples pode ser classificado como endêmico (sempre presente em determinada comunidade) ou como esporádico. Aquele do tipo endêmico geralmente é causado pelo reduzido consumo de iodo em regiões nas quais a terra tem baixo teor desse elemento. O bócio esporádico é produto do consumo de altos teores de certos alimentos ou drogas bociogênicas que diminuem a produção de hormônios tireóideos (repolho, feijão de soja, pêssegos, morangos, espinafres e rabanetes) O consumo excessivo de iodo também produz bócio.
 
Sintomas :

O aumento do tamanho da tireóide pode ser identificado pela presença de pequenos nódulos ou inclusive por uma massa visível na região do pescoço, também pode produzir dificuldades respiratórias por compressão da traquéia, dificuldades na deglutição por compressão do esôfago, e distensão das veias do pescoço que podem provocar tonturas ao levantar os braços acima da cabeça. Como o aumento do tamanho da tireóide pode ser acompanhado pela baixa produção dos hormônios tireóideos (no caso de deficiência de iodo) ou pelo aumento dos mesmos (como acontece na Doença de Graves, um tipo de hipertireoidismo autoimune), o bócio pode apresentar sintomas de hipotireoidismo ou de hipertireoidismo. No hipertireoidismo existe um aumento da freqüência cardíaca, palpitações, exoftalmia, nervosismo, aumento do apetite, perda de peso, hipertensão. No hipotireoidismo, o pulso é lento, sente-se muito o frio, ocorre aumento de peso, constipação, queda do cabelo, pálpebra abaixada e aspereza e engrossamento da pele.
 
Diagnóstico :

É detectado por ultra-sonografia de tireóide ou cintilografia de tireóide. A análise do sangue pode revelar valores de TSH (hormônio da hipófise que estimula a tireóide) normais ou altos, níveis de T4 normais ou baixos, captura de iodo normal ou aumentada. Na análise de urina, os níveis de excreção de iodo podem ser baixos.
 
Tratamento :

A terapia com hormônios tireóideos inibe a estimulação do hormônio estimulante da tireóide (TSH) e permite a recuperação da glândula. As deficiências de iodo são tratadas com pequena dose de iodeto de potássio e, quando for necessário, são eliminados os alimentos bociogênicos. Quando um bócio difuso não responde ao tratamento médico ou quando ele está causando muitos transtornos na respiração ou na deglutição, pode ser necessária a remoção parcial da glândula. Geralmente, o bócio simples desaparece de modo espontâneo. Entretanto, o aumento progressivo do tamanho da tireóide e o desenvolvimento de nódulos endurecidos podem indicar a evolução para um tumor maligno.